19 fevereiro 2012

O Carnaval

Não gosto do Carnaval. Deste Carnaval instituído, que se "pratica" em Portugal. A festa parece que consegue comover as velhinhas e os mais novos. A mim não me (lo)comovem.  Existem formas de brincar ao Carnaval, em Portugal, muito mais saudáveis e culturalmente naturais. Como por exemplo os Caretos de Podence. Não gosto dos corsos carnavalescos importados, da obrigatoriedade de estar em pé ou sentado, horas a fio a ver um desfile que de Carnaval, não tem nada. Pelo mercantilismo musical do samba, das autarquias imersas na folia popular para elevar o consumo local. Já agora, para contextualizar a conversa, e não estarmos todos a falar de cor. O Carnaval surge na Grécia antiga 600 a.c. como culto de fertilidade. O Carnaval do samba e dos carros alegóricos, não me diz nada. Diz-me muito mais o Carnaval das máscaras, da criação de uma personagem única. O Carnaval de Veneza, é um exemplo disso. Esta "fuga" a realidade é para mim a essência do Carnaval, desvirtuada nos dias de hoje.

2 comentários:

Utena disse...

Não podia concordar mais contigo... cansa-me esta necessidade da notícia num dia que não é nada e que foi desvirtuado...

Beijo

o guardador disse...

verdade... beijo